Pages

Header bannerHeader bannerHeader bannerHeader bannerHeader bannerHeader bannerHeader bannerHeader bannerHeader bannerHeader bannerHeader bannerHeader banner

segunda-feira, 6 de julho de 2015

Não vou para a faculdade. E agora?


A fase da nossa vida que sucede o final do 12º ano é muito incerta, cheia de receios, ansiedades e noites em branco. Mesmo os que sabem que vão para a faculdade têm razões para ficar sem sono, "e se não entrar na primeira opção?", "será que vou para o curso certo?", "sigo a minha paixão ou um curso empregável?". No entanto, acho que os que sofrem mais são os que sabem (ou decidem) que não vão para a faculdade. 
Quer seja por escolha própria, questões monetárias (tentem pedir bolsa antes de desistir), não saberem que curso seguir ou simplesmente porque é algo que não querem fazer, pensem que há opções para quem não vai para a faculdade. Não é por não tirarem um curso superior que ficam resignados às caixas do Continente ou ao balcão de um café. Se é isso que vos deixa felizes, tudo bem, mas para quem tem aspirações maiores, o diploma não é garantia de nada.

Algumas hipóteses a considerar:

Voluntariado. Se o que vos está a impedir é não ter a certeza do que querem fazer da vida, o voluntariado pode ser uma escola valiosa. As vossas funções podem passar por tudo: organização, servir às meses, recepção, relações públicas, o que for. Aprendem a ser flexíveis, a trabalhar em equipa e, em alguns casos, até conseguem receber algum dinheiro. O voluntariado também vai ser uma mais valia no vosso currículo, que vos pode abrir mais portas que alguma vez imaginaram. 

Workshops/formações/mini-cursos/conferências. Não seguir um curso profissional não significa que não se queira aprender mais. Há várias opções para aprofundar conhecimentos nas áreas que vos interessa ou explorar mundos novos que nem sequer imaginavam. Grande parte deste tipo de acções conferem algum tipo de certificado, que, mais uma vez, vai ser bastante útil para o vosso futuro. Além dos workshops independentes, há vários tipos de formações que são "oferecidas" por universidades. A FCSH, por exemplo, tem uma escola de Verão, com mini-cursos nas mais variadíssimas temáticas, e tem cursos livres, que são cursos de curta duração leccionados como uma cadeira de um curso, algumas até em regime e-learning. Outras universidades com cursos de Verão são a Universidade do Algarve, a Universidade de Coimbra e a Universidade de Aveiro. Há muitas mais que oferecem este tipo de formações, basta procurarem nas faculdades da vossa zona. 
Dependendo ainda dos vossos interesses, procurem por cursos e formações nessa área. Há imensas escolas de moda e styling, cursos de maquilhagem e de designer de unhas, cursos de instrução de Zumba, as possibilidades são infinitas. Estes cursos não são inferiores a um curso da Universidade, apenas têm uma duração mais curta, uma temática mais específica e, em alguns casos, mais técnica, algo que é valorizado no mercado de trabalho. 
Ps. Há certas instituições que oferecem cursos às pessoas inscritas no Centro de Emprego. Uma colega estava a tirar um curso super completo sobre Plataformas Multimédia no Cenjor através dessas regalias. Informem-se num CE perto de vós. 

Trabalho "medíocre" em algo que gostem. A motivação pode levar-nos mais longe do que imaginamos. Falando agora na primeira pessoa, eu tenho a certeza que era capaz de ser feliz a trabalhar na Sephora, por exemplo. No entanto, sei que trabalhar em cafés me deixa infeliz. Provavelmente era capaz de ser "promovida" na Sephora porque gosto de aprender sobre beleza e maquilhagem, enquanto num café não aguento mais que 2 meses. Isto para dizer que, se gostarmos mesmo de onde estamos, não nos incomoda começar por baixo. Com motivação, esforço e dedicação, podemos tornar um trabalho num emprego. É difícil, sim, mas não é impossível.
Um exemplo motivacional: a prima de uma colega de universidade desistiu do curso começou a trabalhar numa Zara, foi promovida e teve de começar a ir para fora em trabalho. No final acabou por se tornar a Coordenadora de Vendas da Tommy Hilfiger. Dream big

Criem projectos paralelos ao que sonham. Quem ser chefes de cozinha mas não têm dinheiro para um curso? Façam um canal do YouTube onde partilham os vossos pratos. Querem ser designers? Façam redes sociais para o vosso trabalho e exponham-no. Querem trabalhar no mundo editorial? Um blog é uma boa aposta. Sejam consistentes, não desistam e não tenham vergonha de partilhar! 

Aproveitem o Verão. A praia é boa, mas esta também é a melhor altura para encontrar um trabalho temporário e explorar coisas novas. Não estou a falar apenas de vender bolas de berlim na praia. Muitas empresas recrutam pessoas neste tempo para fazer as férias dos seus empregados. Duas semanas como secretária(o), outras duas numa seguradora, uma quinzena na recepção de um ginásio. Aprendem coisas valiosas em todos os lugares que entrarem, aproveitem essa experiência. Quem sabe alguma das empresas gosta tanto de vós que vos chama no futuro?

Carreira Militar. Aposto que esta vai ser a sugestão que menos agrada, mas a verdade é que pode ser uma forma de fazer carreira, receber bem, ter regalias valiosas na saúde sem que a questão das habilitações literárias se meta no caminho. De tempos a tempos abrem concursos públicos no site da GNR ou da PSP. É certo que não é para todos, mas certamente será o futuro de alguém. 

Candidatem-se a estágios. A candidatura é grátis e não perdem nada em fazê-la. Façam candidaturas espontâneas para lugares onde gostariam de trabalhar. Digam que vão tirar o café do Manuel Luís Goucha e no currículo aparece estágio na TVI. Procurem principalmente coisas regionais. Bibliotecas Municipais, cinema local, jornal regional, geralmente são menos picuinhas com os cursos e ganham experiência e currículo.

Não tenham vergonha das cunhas. O primo do tio do vosso avô disse que estavam a recrutar no Benfica? Passem-lhe o currículo. Não há problema em ter conhecimentos, o problema está em usá-los para ficar à sombra da bananeira sem trabalhar. Não sejam preguiçosos e ninguém vai dizer "ela só está aqui porque é sobrinha da ex-empregada do Jorge Jesus". 

Façam um bom currículo. Trabalhem-no, personalizem-no, sejam irreverentes (mas profissionais). Às vezes a originalidade fala mais alto que qualquer diploma. Tornem-se únicos e indispensáveis. Enviem propostas ricas junto do vosso currículo. Criem um portefólio do que já fizeram. Vendam o vosso cérebro e as vossas capacidades, não o vosso percurso académico.

Não tenham medo de explorar várias áreas. Não ir para a faculdade não tem de ser uma limitação. Tanto que um curso não significa que têm um bom emprego garantido (a prova número um sou eu, olá amigos no desemprego!). Não significa também falta de ambição ou de sonhos. Façam o que é melhor para vocês, aproveitem oportunidades e tudo se resolverá. 

Espero ter ajudado a, pelo menos, acalmar a vossas mentes. Há muitas possibilidades por aí, a universidade não é a única. Não se esqueçam ainda que podem ingressar no ensino superior a qualquer altura da vossa vida, esta escolha não é definitiva. 

Acharam o post útil? Há mais alguma possibilidade que tenham em mente? Deixem nos comentários para quem estiver à procura de mais alternativas. 

FACEBOOKINSTAGRAMPINTEREST

25 comentários:

  1. Não é vergonha nenhuma não entrar e haver duvidas quanto a isso (um conselho para quem ler o comentário ahah)
    Realmente Marta, isto é um post bastante util e bem explicito, com ideias e de ajuda para quem se encontra nesta situação.
    "Criem projectos paralelos ao que sonham: (...) e não tenham vergonha de partilhar" revi-me nesta parte, não que tenha vergonha mas sim por se dificil dar a entender o conceito que tento transmitir no meu blog.
    Beijinhos, Rodrigo | OOTD

    ResponderEliminar
  2. Adoreii o post e realmente existe muitas outras alternativas, ficamos fechados na ideia de fazer faculdade a todo custo, porque a sociedade impõe uma falsa ideia que para ser bem sucedida a pessoa tem que ser formada, quando na verdade a prosperidade está mais ligada a felicidade, se vc é feliz fazendo a faculdade que vc gosta e não só porque é a que esta dando dinhero no momento, ÓTIMO! Se não, não devemos nos sentir culpados por não querer prestar vestibular porque simplesmente ainda não descobrimos uma profissão certa pra vida toda, eu mesma escolhi não fazer nenhuma faculdade por enquanto por esse motivo, não me imagino 5 a 6 anos estudando uma coisa só por ambição ou pressão social e a minha vida não acabou por isso. Parabéns pelos pontos de vista, Abraço!
    www.bydasneves.com

    ResponderEliminar
  3. Marta achei o teu post super útil, até porque hoje em dia já nem todas as pessoas podem concorrer à faculdade e lá esta o canudo não prova nada nem é sinal de riqueza ou sucesso no futuro.
    Eu sempre desejei, desde pequenina mesmo, ir para a faculdade mas tive amigas que não quiseram e enquanto hoje eu penso que ganho uma miséria como licenciada elas recebem três vezes mais que eu porque tiveram imensos anos para subir na carreira.

    Beijinhos, - M A R G A R I T A -

    ResponderEliminar
  4. Gostei muito do teu blog. Escreves bem.

    http://oshomensnaosaotodosiguais.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. Excelente matéria!! Esta fase é importante para nos assegurarmos um pouco do que realmente desejamos para o futur. Eu já a passei e acho que estive sempre decidida em entrar na faculdade. Mas há muitas ideias que deste aqui que não erdia nada se tivesse feito, e mais - ainda vou a tempo de as fazer. Por exemplo, o voluntariado... é algo que desejo muito fazer. E agora que concretizei este sonho da faculdade, é uma excelente altura. O estágio, faz parte :). Beijinho e parabéns pelo Blog!
    Está na minha Blogroll ;)

    http://www.brunadiogosantos.blogspot.pt *

    ResponderEliminar
  6. Acabei este ano o 12º e para o ano irei para a universidade. Sei que curso vou tirar, apesar de não ser aquilo que mais queria, mas tenho de pensar também no que me dá mais oportunidades. Por isso tenho andado também um pouco "stressada".
    Amei este post. Super super útil, original.... Estou sem palavras
    Muitos parabéns :)

    Beijinhos, redlipsbyines.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  7. Excelente publicação! Vai ajudar muita gente que está se sentindo "perdida" (:
    Um beijo

    Dicas para Todas

    ResponderEliminar
  8. Muito útil mesmo :) Acho que vai mesmo ajudar quem se sentir sem rumo (e infelizmente hoje em dia é tanta gente)

    Instax mini 25 giveaway - www.mykindofjoy.com

    ResponderEliminar
  9. Adorei o post e acho que vai ser bem útil para quem está nessa situação .
    Eu vou agora para o 12º ano e estou num curso profissional ( de recepcionista) , é algo que quero mesmo fazer e pretendo arranjar um emprego nessa área depois do estágio . Mas isso não significa que mais tarde não possa ir para a universidade ou fazer cursos/workshops daquilo que mais gosto, acho que é muito importante investir-mos no nosso conhecimento .

    beijinho ❤❤
    www.watermelonclouds.tk

    ResponderEliminar
  10. Achei o post muito construtivo. Felizmente tinha muito claro o que queria, mas conheço várias pessoas que tiveram em situações cambaleantes e não deve ser nada fácil.
    Muito útil.

    Beijinhos

    Pictures After Coffee

    ResponderEliminar
  11. Muito bom post Marta! Já passaram 11 anos desde esse verão... mas lembro-me dele como se fosse ontem. É muito stress, é um passo que muda para sempre a vida. Quando acabei o curso, procurei logo logo emprego, foi degastante mas compensou. :)

    http://modadarapunzel.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  12. Gostei muito do post. Acho que é um tema muito importante e o qual dominas. Gostava de ver mais posts do género. Parabéns e obrigada pelas dicas. Desde que me lembro que quero ir para a universidade apesar da escolha do curso ser mais complicada, no entanto tenho algumas ideias e tendo em conta que ainda só vou para o 12º ano este ano ainda tenho mais um aninho para ponderar tudo muito bem. De qualquer das formas é sempre bom ter outras alternativas em mente, algumas delas são até possíveis de realizar ao mesmo tempo em que estamos a estudar.
    Blog: Confissões da Andreia

    ResponderEliminar
  13. Custou-me imenso, no final do 12º ano, ver pessoas a desistir dos sonhos que tinham por causa de dificuldades. Mas também são essas pessoas que se "fazem mais à vida". Mais cedo ou mais tarde, todos vamos à luta, com ou sem curso. Eu sou daquelas pessoas que diz que trabalhava em qualquer coisa. E trabalhava mas também temos que pensar na nossa realização profissional

    Isa,
    http://isamirtilo.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  14. Gostei muito muito deste teu post :)
    Eu sou um dos casos que decidi que não queria ir para a faculdade.. Simplesmente não fazia a mínima ideia do que queria seguir, e não tinha dinheiro para andar a gastar de curso em curso até descobrir o que queria!
    Já lá vão 3 anos.. Já trabalhei em sítios que sempre quis, já fiz cursos, .. enfim...

    Apesar disso tudo, este ano tem sido mais complicado arranjar emprego, e descobri um curso que é a minha cara e, com 22 anos vou entrar para a faculdade.. e olha que vou bem a tempo.. :b

    Beijinhos, Sweet Home | BLOG

    ResponderEliminar
  15. adorei o post e as dicas! achei super útil para quem se encontra nessa situação de não querer ir para a faculdade e não sabe o que fazer a seguir :) beijinho

    ResponderEliminar
  16. Adorei completamente este post !

    adreaminpictures18.blogspot.com

    ResponderEliminar
  17. Óptimos conselhos! Muitas destas dicas também se aplicam a quem está agora a acabar a faculdade porque encontrar emprego infelizmente não está fácil para ninguém
    R: Obrigada, também gosto imenso do detalhe :)

    Beijinho
    simplypinkblog.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  18. É a fase mais tensa da vida. Decidir o que fazer. Por sorte cheguei a essa fase bem e estou amando o que faço.

    Beijos
    www.amorascomclasse.com

    ResponderEliminar
  19. Independentemente da escolha, acho que o que importa é não ficar parado :)

    Beijinho
    http://dcidadedopecado.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  20. É um post fantástico! De facto, não ir para a faculdade não é sinónimo de vida infeliz. Pelo contrário, poupa-se algumas dorzinhas de cabeça xD
    xoxo, Ana

    The Insomniac Owl Blog

    ResponderEliminar
  21. Óptimos conselhos. Muitas vezes parece que a Universidade é algo obrigatório e muita gente vai lá só gastar dinheiro. Faz falta pessoas em todas as áreas.

    http://thesunnysideoflifeblog.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  22. Óptimas sugestões, de facto para muitos jovens esta vai ser uma realidade...

    Bjxxx

    ResponderEliminar
  23. Eu entrei neste grupo de pessoas em 2014, não tinha como continuar a estudar e tão pouco ainda sei definir-me numa só área...o que foi sempre uma vergonha para mim. Não aconselho que façam o meu caminho, porque optei por ir para algo que não me realizava, porque não consegui um emprego numa área que me fizesse feliz.
    De momento estou doente e não só o tratamento é que me preocupa, mas o post esta bastante inspirador e espero para o ano poder preocupar-me em escolher um caminho! ;)

    *hugs da Naipes*

    http://ladynaipes.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  24. Este post é realmente uma boa ajuda para quem terminou o 12º ano e não sabe o que fazer. Eu só arranjei emprego do iefp passado um ano do término da escola, agora encontro-me num estágio emprego e futuramente provavelmente tentarei a GNR/PSP. Às vezes, só precisamos de uma oportunidade para mostrar o que valemos, como no caso da prima de uma colega que trabalhou na Zara...
    Não podemos desistir, eu comecei do zero e aos poucos estou a conseguir as minhas coisas, atingir os meus objetivos!

    LEONINE | FACEBOOK | INSTAGRAM

    ResponderEliminar

Obrigada por lerem e comentarem!
Quando me fazem perguntas eu respondo aqui, directamente no comentário.
Beijinhos ♡

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...